Classification scheme

Available actions

Reader available actions

Share
 

Vedoria Geral da Artilharia do Alentejo.

Description details

Description level

Subfond Subfond

Reference code

PT/AHM/FG/5/C02

Descriptive dates

1641 - 1812

Dimension and support

61 livros manuscritos.

Producer

Vedoria Geral da Artilharia do Alentejo.

Biography or history

As Vedorias Gerais foram criadas por D. João IV, em 1641. No ano seguinte e na sequência desta criação, publicaram-se, em 28 de Fevereiro, 3 regimentos relativos ao vedor geral, contador geral e pagador geral. De acordo com este diploma cabia ao vedor geral do Alentejo, a administração financeira e o provimento dos Exércitos dessa província, nomeadamente as revistas de mostras e o exame das despesas, cabendo-lhe a autorização dos pagamentos efectuados pelo pagador geral. Para estas funções, o vedor geral era auxiliado por 3 comissários de mostras, 1 escrivão e 1 meirinho. A 30 de Agosto desse ano, surgiu um 2º regimento atribuindo ao vedor do Alentejo a inspecção das obras e dos trabalhos das oficinas. A 27 de Novembro, foram publicadas as instruções para a Contadoria Geral da Província de Entre-Douro e Minho, as quais deviam ser seguidas pelas outras contadorias, nomeadamente pela do Alentejo. Com a Restauração, fomentou-se o desenvolvimento da Artilharia e das suas oficinas para fabrico e reparação do material, pelo que surgiu a necessidade de organizar vedorias especiais para a Artilharia. Assim, por carta patente de D. João IV datada de 17 de Julho de 1643, foi instituído o cargo de "Vedor Geral da Artilharia da Província do Alentejo", competindo a António de Freitas ser o 1º vedor, contador geral e superintendente da Artilharia. A publicação do Regimento das Fronteiras, em 29 de Agosto de 1645, confirmou a acção da vedoria do Alentejo, nomeadamente na fiscalização da fazenda, nas revistas de mostras e na direcção das obras militares. Segundo o Alvará de 29 de Dezembro de 1662, na Vedoria Geral da Artilharia do Alentejo devia haver 3 livros de receita e despesa, um para as fortificações, outro para a fábrica e o 3º para os pagamentos. Esta Vedoria tinha assim a seu cargo a direcção técnica e administrativa do trabalho oficinal dos trens de Artilharia. De acordo com uma relação de 1758, esta Vedoria era constituída por: 1 vedor-geral, 1 oficial maior, 1 comissário de mostras, 1 praticante do número, 1 escrivão de mantimentos, 2 guarda-livros, 1 chaveiro e 1 meirinho. Sob a inspecção da Vdoria do Alentejo funcionava o Armazém Provincial para os Uniformes das Tropas da Província do Alentejo, localizado em Estremoz, e que era provido pelo Armazém Geral de Fardamentos criado, em 1784 na dependência do Arsenal do Exército. Com o marquês de Pombal, as Vedorias foram extintas, através da Lei de 9 de Julho de 1763, criando-se as Tesourarias Gerais das Tropas. No entanto, a Vedoria da Artilharia do Alentejo continuou a funcionar devido à necessidade de tratar da arrecadação das munições de guerra para as inúmeras fortificações existentes nessa província. Mas a partir de 1764, com a acção do conde de Lippe e devido a algumas irregularidades, os vedores da Artilharia perderam algum do seu poder, passando os pagamentos para a alçada das Tesourarias Gerais das Tropas, enquanto que os trens passaram para a responsabilidade dos governos de Armas, ficando sob a direcção dos oficiais de Artilharia. Foi extinta em 1812.

Scope and content

Este sub-fundo é constituído por livros de registo de despesas, ordens, alvarás, regimentos e avisos e correspondência expedida para diversas autoridades; contém ainda registos de pessoal, certidões de despesas e distribuição de fardamentos aos regimentos da província pelo Armazém Provincial para os Uniformes das Tropas da Província do Alentejo.

Arrangement

Sub-fundo organizado em 19 séries ordenadas cronologicamente.

Classificador:

B) ÓRGÃOS GERAIS DE FINANÇAS

(SF) C2. Vedoria Geral da Artilharia do Alentejo

· (SC) AF - Armazém Provincial para os Uniformes das Tropas da Província do Alentejo

Related material

Ver Vedorias e Contadorias de Guerra (C1, C3 - C7).

Publication notes

Almanaque Militar de 1855. Lisboa, 1855. Almanaque Militar para 1878. Lisboa, 1878 BOTELHO, J. J. Teixeira - História da Artilharia Portuguesa. Lisboa, Comissão de História Militar, 1948. Colecção de Legislação Portuguesa (1640 - 1770). Lisboa, Imprensa Nacional.